Bate Papo

BATE PAPO VIA FACEBOOK

Lição 5 - A Pia de Bronze: Lugar de Purificação

Lições Bíblicas do 2° trimestre de 2019 - CPAD | Classe: Adultos | Data da Aula: 5 de Maio 2019.
TEXTO ÁUREO
'Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.” (Jo 15.3)

Verdade Prática
A Pia de Bronze é o símbolo do processo da santificação que Cristo realiza em nós através de seu sangue e da Palavra de Deus.
VEJA TAMBÉM:

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Ef 5.26: A Palavra como água purificadora
Terça - 1 Pe 1.22: A obediência à Palavra traz pureza
Quarta - Jo 3.5: Nascendo da "água" e do Espírito
Quinta - Hb 10.22: Apresentando-se a Deus, purificados
Sexta - 1 Jo 5.6: A Palavra viva encarnou
Sábado - At 2.38: Batismo: a confirmação da purificação
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 30.18-21; 40.30-32; 1 Coríntios 6.11; Efésios 5.26,27

Êxodo 30
18 - Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre, para lavar; e a porás entre a tenda da congregação e o altar e deitarás água nela.
19 - E Arão e seus filhos nela lavarão as suas mãos e os seus pés.
20 - Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor.
21 - Lavarão pois, as mãos e os pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua semente nas suas gerações.

Êxodo 40
30 - Pôs também a pia entre a tenda da congregação e o altar e derramou água nela, para lavar.
31 - E Moisés, e Arão, e seus filhos, lavaram nela as mãos e os pés.
32 - Quando entravam na tenda da congregação e quando chegavam ao altar, lavaram-se, como o Senhor ordenara a Moisés.

1 Coríntios 6
11 - E é o que alguns têm sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus.

Efésios 5
26 - para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, 27 - para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.

HINOS SUGERIDOS: 129, 175, 360 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Conscientizar sobre a importância da pureza espiritual.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Conceituar a Pia de Bronze;
- Refletir acerca da Pia de Bronze e sua relação com a limpeza e a pureza espiritual;
- Destacar os dois aspectos dos ritos de lavagem dos sacerdotes.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Na aula passada vimos que o Altar do Holocausto apontava para o Calvário. Assim, uma ideia de redenção, a partir da suficiência do sacrifício de Jesus, ficou muito clara para nós - não deixe de fazer esse pequeno resumo. Agora, estudaremos a Pia de Bronze. Esse objeto aponta para a doutrina da santificação na vida de quem foi redimido pelo sacrifício de Jesus.

Antes de apresentar o sacrifício no Lugar Santo, os sacerdotes precisavam se lavar. Isso remonta a necessidade de vivermos uma vida de pureza. A santidade é uma urgência espiritual na vida de quem é chamado discípulo de Jesus. Tenha uma boa aula!
PONTO CENTRAL
Fomos chamados a viver uma vida de pureza.

INTRODUÇÃO
O nosso presente estudo é sobre a Pia de Bronze. Continuamos a avançar no Tabernáculo. Assim, veremos o simbolismo da limpeza e da pureza que a Pia de Bronze apresenta; estudaremos os dois aspectos do rito de lavagem presentes na função dos sacerdotes; e, finalmente, seremos chamados à responsabilidade acerca da necessidade e urgência de vivermos uma vida santa e irrepreensível diante de Deus e dos homens.

I - A PIA DE BRONZE: A IMPORTÂNCIA DA SANTIDADE

1. A pia de bronze e a água (Êx 30.18,19).
Deus ordenou a Moisés que fizesse uma pia de bronze. O objetivo era que antes de entrar ou sair do Tabernáculo, Arão e seus filhos lavassem as mãos e os pés. O ofício de apresentar holocaustos ao Senhor era Santo. Não é possível apresentar-se diante de Deus de maneira a não reconhecer sua santidade e justiça. Oferecer um sacrifício a Deus é prestar-lhe um culto santo e reverente. Não podemos perder o senso de piedade e reverência diante de Deus. Por isso, nossos cultos, bem como nossas vidas, devem refletir a santidade de Deus (1 Pe 1.15,16).

2. Os sacerdotes e a santidade (Êx 30.20).
Ao entrarem no Tabernáculo, os sacerdotes deveriam se lavar “para não morrer”. Fosse para ministrar, fosse para acender a oferta no altar, eles deveriam lavar-se antes. Há que se destacar a expressão “para não morrer”. O ato colocava em risco a vida dos sacerdotes. Apresentar-se diante de Deus sem atentar para a exigência da purificação poderia custar-lhes a vida. Hoje, nós, os obreiros de Cristo, devemos pautar nossas vidas na obra, exercitando-nos na piedade e na santidade. Somos santos porque fomos chamados por um Deus Santo. Somos chamados para ser um modelo de santidade. Não nos esqueçamos: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).

3. A santidade para a vida (Êx 30.21).
O versículo 21 traz-nos a ideia de um pacto perpétuo a respeito do rito de lavagem da purificação. Esse rito seria um estatuto perpétuo para os sacerdotes. Disso dependeria a vida deles. Viver a vida de maneira santa, separada, única e exclusivamente para Deus é a vocação de todo obreiro chamado para a sua obra. Santidade ao Senhor gera espiritualidade profunda. Santidade ao Senhor gera uma vida de compromisso com Deus. Santidade gera vida no altar de Deus!

SÍNTESE DO TÓPICO I
A Pia de Bronze aponta para a santidade da vida cristã.
II - A PIA DE BRONZE: LUGAR DE LIMPEZA E PUREZA

1. A Pia de Bronze (cobre) entre o Altar do Holocausto e o Tabernáculo.
O termo hebraico para "pia" é kyyor, que significa "lugar de se lavar". Era uma bacia redonda. É assim que a imagem da Pia de Bronze é geralmente apresentada nas ilustrações. Para entrar no santuário do Tabernáculo, após ministrar no Altar dos Holocaustos, o sacerdote lavava-se na Pia de Bronze com água limpíssima. Ora, o nosso pecado foi expiado por Cristo no Calvário, o que significa que toda a nossa sujeira foi limpa para a glória de Deus. Fomos "lavados" pelo "sangue remidor" de Jesus (1 Co 6.11).

No dia a dia, encontramo-nos vulneráveis às imundícias das obras da carne. Entretanto, temos um recurso divino, que nos purifica e santifica, prefigurado pela Palavra de Deus (cf. 1 Jo 1.7,8,10). O sangue de Jesus quitou a nossa culpa, cuja natureza humana estava condenada a se curvar sempre diante das tentações e do pecado (Rm 3.24,25; Ef 1.7). Assim, a Palavra de Deus é o espelho que reflete a nossa nova natureza e as obras que devemos praticar com a ajuda do Espírito Santo.

2. A lavagem na Bacia de Bronze.
A Pia era de bronze polido, fabricado com o espelho das mulheres (Êx 38.8). Assim, exposta à luz do sol, a partir da água limpíssima, toda impureza era revelada no interior da bacia. À semelhança dessa figura, a obra regeneradora do Espírito Santo nos torna completamente limpos das sujeiras do pecado (2 Co 5. 17; Ef 5.26).

Outro ponto que devemos destacar é a consciência de pureza que os sacerdotes deveriam ter para estar na presença de Deus, pois quando se lavavam, as sujeiras desapareciam de seus corpos. Sabiam que, doutra forma, não poderiam celebrar no interior do Tabernáculo. Só a Palavra de Deus é eficaz para revelar o pecado do nosso coração, expô-lo e removê-lo. A imagem dessa bacia nos rememora à santidade de Deus e a necessidade de se buscar uma vida de retidão, tanto na área espiritual quanto na moral. Somos de Deus, ovelhas de seu rebanho.

3. A Pia de Bronze e o caráter de juízo.
No Altar dos Holocaustos, o juízo sobre o pecador era aplicado na oferta do sacrifício, cobrindo o seu pecado. Nesse sentido, as águas da pia cumpriam uma função de limpeza dos sacerdotes que passaram por aquele processo. De igual modo, nosso Senhor tomou sobre si o juízo que merecíamos, morrendo vicariamente por nós (2 Co 5.21; Gl 1.4). Nesse aspecto, à semelhança das águas purificadoras, a Palavra de Deus tem o poder de limpar e disciplinar nossa vida (Hb 4.12,13). Embora nossos pecados tenham sido expiados (Hb 10.17), ainda temos de nos chegar a Deus, continuamente, para sermos limpos de tudo o que desagrada-o: pensamentos, palavras e obras. Infelizmente, acidentes ocorrem no caminho da jornada cristã, e precisamos nos quebrantar na presença de Deus. Busquemos a santidade em Jesus Cristo.

SÍNTESE DO TÓPICO II
A Pia de Bronze remonta a ideia de purificação e juízo.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
“A regeneração é a ação decisiva e instantânea do Espírito Santo, mediante a qual Ele cria de novo a natureza interior. O substantivo grego (palingenesia) traduzido por ‘regeneração' aparece apenas duas no Novo Testamento. Mateus 19.28 emprega-o com referência aos tempos do fim. Somente em Tito 3.5 se refere à renovação espiritual do indivíduo. Embora o Antigo Testamento tenha em vista a nação de Israel, a Bíblia emprega várias figuras de linguagem para descrever o que acontece. O Senhor ‘tirará da sua carne o coração de pedra e lhes dará um coração de carne (Ez 11.9). Deus diz: ‘Espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados... E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo... E porei dentro de vós o meu espírito e farei que andeis nos meus estatutos' (Ez 36.25-27). Deus colocará a sua lei ‘no seu interior e a escreverá no seu coração' (Jr 31.33). Ele ‘circuncidará o teu coração... para amares ao Senhor' (Dt 30.6)” (HORTON, M. Horton (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.371).

III - DOIS ASPECTOS DO RITO DE LAVAGEM DOS SACERDOTES
1. A lavagem completa.
Essa lavagem era mais do que simplesmente lavar mãos e pés. Significava uma “obra regeneradora”, que implicava o primeiro passo para a consagração sacerdotal. Hoje, é inaceitável que um ministro queira servir na Casa de Deus sem ter passado pela obra da regeneração (Jo 13.10). É preciso que os obreiros do Senhor tenham experimentado uma “limpeza completa” da alma e da mente. É preciso nascer da Palavra e do Espírito (Jo 3.5,7; Jo 15.3; Tt 3.5; 1 Pe 1.23).

2. A lavagem progressiva e constante.
No dia a dia sacerdotal, a limpeza exigida para ministrar no Lugar Santo era apenas das mãos e dos pés (Êx 30.19). Mas, de acordo com a doutrina do Novo Testamento, o “lavar-se”, aqui, destaca o ato do Espírito que opera em nós a santificação (Ef 5.26; 2 Co 7.1). Nesse sentido, a consagração dos sacerdotes dava-se nos termos do compromisso de uma vida santificada. Esse mesmo compromisso é que deve permear a vida do obreiro, que se acha vocacionado para realizar a obra do Senhor.

3. Recapitulando verdades importantes.
À luz de tudo quanto temos estudado até aqui, devemos assimilar algumas lições apreendias até o presente momento:

1. Sobre o sangue de Jesus. O sangue de Jesus Cristo nos livrou da pena do pecado ( Mt 20.28; 26.28;; 1 Pe 4.17);
2. Sobre a Palavra. A Palavra de Deus revela quem somos (Tg 1.22-24);
3. Sobre a limpeza espiritual. Uma vida irrepreensível é prioritária e absolutamente necessária ( Jo 15.3).

SÍNTESE DO TÓPICO III
Uma lavagem completa e outra progressiva apontam para dois aspectos da santidade: a completa e a progressiva.

SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ
“Cristo Está Preparando a Sua Noiva O Rei da Glória se casará com a sua Noiva. Será que vocês não sabem que todas as boas coisas que o mundo desfruta, Deus nos fará desfrutar dez mil vezes mais? O grande banquete acontecerá, o evento mais maravilhoso de todos os tempos, em que comeremos pão e beberemos vinho no Reino de Deus. A Noiva está em preparação.

O Espírito Santo é a pomba. O cântico é o arrulhar da pomba antes da tormenta. Você viu como as pombas alertam os seus companheiros para que procurem abrigo antes das tempestades? Pois, da mesma forma, o Espírito Santo está arrulhando e chilrando, chamando-nos para que procuremos abrigo contra as tempestades da tribulação que virá sobre a terra. O Senhor está nos treinando, fazendo os nossos corpos ficarem leves e flexíveis para que possamos subir” (ETTER, Maria Woodworth. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.165-66).

CONCLUSÃO
Nesta lição, vimos que a limpeza espiritual é prioridade absoluta como consequência da obra expiatória de Cristo. Uma vez que Cristo nos salvou, fomos chamados para ser santos. Atentemos para esse precioso chamado de Cristo Jesus!
PARA REFLETIR
• Qual era o objetivo para o estabelecimento da pia de bronze, conforme a lição?
O objetivo era que antes de entrar ou sair do Tabernáculo, Arão e seus filhos lavassem as mãos e os pés, pois o ofício era santo.

• Qual expressão deve ser destacada na lição?
Há que se destacar a expressão “para não morrer”.

• O que significa a Pia de Bronze?
O termo hebraico para “pia” é kyyor, que significa “lugar de se lavar”.

• De que era formado o interior da Pia de Bronze?
A Pia era de bronze polido, fabricado com o espelho das mulheres (Êx 38.8).

• Cite os dois aspectos do rito de lavagem dos sacerdotes.
A lavagem completa, mais a lavagem progressiva e constante.

Total de visualizações de página